segunda-feira, 5 de maio de 2014

DEPOIS...

D E P O I S
Filemon F. Martins

Depois que te perdi, a minha vida
num charco de amargura se tornou,
e o pranto que verti, na despedida,
no coração ainda não parou...

E por amar-te assim, minha querida,
como ninguém jamais na terra amou,
lembro-me triste, enfim, tua partida,
enquanto vivo sem saber quem sou.

E o coração recorda mudamente
o desprazer de amar inutilmente
alguém que só me deu desilusão,

pois quem carinho um dia ofereceu,
e não cumpriu o amor que prometeu,
não merece jamais o meu perdão!




Nenhum comentário: