segunda-feira, 15 de setembro de 2014

FUGA (J.G. de Araújo Jorge)

FUGA

J. G. de Araújo Jorge

Amo um lugar assim, amo os lugares
onde há montanhas, selvas, passarinhos...
- onde o giz alvacento dos luares,
à noite, faz rabiscos de caminhos...

Que bom ficarmos, sempre assim, sozinhos...
Quanta coisa depois, para lembrares!
- Esta calma varanda... os meus carinhos...
Um silêncio... que é música, nos ares...

A porteira lá embaixo... A estrada, o fim...
Ah! Se pudéssemos nos esquecer
para onde segue aquela estrada assim...

Ah! Se pudéssemos pensar que aquela
estrada, ali adiante vai morrer...
- Como a vida, meu Deus, seria bela!


(Do livro OS MAIS BELOS POEMAS QUE O AMOR INSPIROU, 1973 - página 24)

Nenhum comentário: