terça-feira, 14 de outubro de 2014

AS CLARITROVAS DE CARLOS RIBEIRO ROCHA

AS CLARITROVAS DE CARLOS RIBEIRO ROCHA
(Ipupiara-1923 – Salvador-2011)

Não tenho a força do bruto,
na mente é que tenho músculos,
vai-se a flor, suscita o fruto,
vai-se o sol, deixa crepúsculos!

Através da pátria inteira
trovas deixo em minhas trilhas,
irei levando a bandeira
triunfante das redondilhas!

Se tenho bom coração,
não temerei as procelas,
redondilho do apagão,
se não me faltarem velas.

Morrendo, abro um deserto?...
E meus poemas dispersos?...
O meu ocaso, por certo,
será feito só de versos.

Apesar da adversidade,
não se apagarão meus sonhos,
nada faz mais claridade
que as velas dos meus neurônios.


(Do livro PORTA ABERTA, página 17)

Nenhum comentário: