terça-feira, 21 de outubro de 2014

TROVAS DE J. G. DE ARAÚJO JORGE

Por certo a pior solidão
é aquela que a gente sente
sem ninguém no coração...
no meio de muita gente...

Praias longe, em solidão,
fora de todas as rotas,
tal como o meu coração
só com o sonho... das gaivotas...

Enriquece quem mais tira...
Trabalhar? Lenta agonia...
Democracia? Mentira!
Simples Dinheirocracia...

Ó liberdade, o teu crime
é ser burguesa também
e servir a esse regime
em que “só vale quem tem”!

(Livro TREVOS DE QUATRO VERSOS, - TROVAS, 1964)

Nenhum comentário: