domingo, 2 de novembro de 2014

DESENCONTRO (c.a.BEIRAL)

DESENCONTRO
c. a. BEIRAL (1915-1999)

Creio que certa vez – eu não sei quando –
cruzei no seu caminho, sem que O visse,
sem perceber que estava me esperando,
não ouvindo, destarte, o que me disse...

Depois, ao pé do Monte, miserando,
não esperei, sequer, que me servisse
dos pães e dos peixinhos que ia dando,
sem que tampouco seu Sermão ouvisse.

Não me esqueceu e a outros mais ingratos,
nem de Judas, nem mesmo de Pilatos
que por fraqueza humana o condenou,

já que na cruz injusta erguendo a voz,
ao suplicar perdão por todos nós,
também minha ignorância perdoou!...

(Do livro UMA LUZ NA NOITE, página 23)


Nenhum comentário: