domingo, 9 de novembro de 2014

TROVAS DO JERRY FILHO

TROVAS DO JERRY FILHO

Já dizia um certo nobre
ao filosofar aos seus:
“aquele que empresta ao pobre,
simplesmente dá... Adeus!”

Cada trovinha que escrevo,
muito feliz, qual um bravo
- de quatro folhas – é trevo,
- de amores – é lindo cravo!

Pela sombra do destino
o qual traça a diretriz,
viajo desde menino
na ilusão de ser feliz.

Nesta vida amargurada
onde o mal se opõe ao bem,
a poesia é nossa fada
no Universo ou mesmo além.

(Revista A FIGUEIRA, 1998, página 06)



Nenhum comentário: