quinta-feira, 5 de fevereiro de 2015

TROVAS - CHUVAS DE VERSOS, 358

TROVAS CHUVAS DE VERSOS, 358

Nos mistérios deste outono,
as folhas caindo ao chão,
tecem colchas de abandono
que envolvem minha ilusão!
Sônia Maria Ditzel Martelo

Vejo em frente, ali na praça,
só lixo, trapos e panos;
e, para a minha desgraça,
no meio - seres humanos!
Selma Patti Spinelli

No grande palco da vida
os artistas, somos nós,
que depois de tanta lida
sempre ficamos a sós!
Sophia Irene Rodrigues Canalles
(1911 – 2004)
  
Escolha o lugar que ocupa,
pensando nesta lição:
- quem cavalga na garupa,
não tem as rédeas na mão!
Sebas Sundfeld

(FONTE:CHUVA DE VERSOS 358, JOSÉ FELDMAN)







Nenhum comentário: