domingo, 5 de abril de 2015

O AMOR CONSTRÓI (E. RABELLO)

O AMOR CONSTRÓI
E. RABELLO

"Só o amor constrói para a eternidade".

O amor, presente em nós, enfeita a nossa vida.
Amar Estela, Iná, Maria, Alice, Helena...
Amar a flor do cardo, a flor não preferida:
Um trevo, um malmequer, um goivo, uma verbena...

O amor vive a inspirar dulcíssima investida
ao pérfido pardal, à insípida falena,
à serpe que assassina, à fera enraivecida,
ao mar bravio, à lama, à lava que condena...

Amar o que se curva, ante um estranho Deus,
amar o espiritualista, amar também ateus...
O amor sagra e coroa e entroniza herói.

Sem arco e seta o amor, sereno e sem maldade,
não fere. Afaga e assim conduz à eternidade...
Sim. Para a eternidade é que o amor constrói.


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS Nº 393, JOSÉ FELDMAN) 

Nenhum comentário: