terça-feira, 21 de abril de 2015

QUANDO A NOITE...

QUANDO A NOITE...

Filemon F. Martins  



Quando a noite chegar, a mesma lua 
há de brilhar, serena, em meu semblante 
e, andando, solitário, pela rua 
hei de lembrar do meu passado errante. 

E no meu peito uma saudade tua 
há de apertar meu coração amante 
e ficarás a sós na noite nua, 
se de mim continuares tão distante. 

Se quiseres que eu vá, estou partindo, 
melhor sofrer do que viver fingindo, 
que o nosso amor é apenas brincadeira. 

E quando a lua brilhar mais uma vez, 
não sofrerei de amor, porque talvez, 
- uma paixão não dure a vida inteira!

Nenhum comentário: