sábado, 25 de abril de 2015

REGRESSO

REGRESSO

Filemon F. Martins 


Hoje, pensei na paz daquela estrada 
que o teu amor, talvez, fosse me dar, 
imaginei a noite enluarada 
e as estrelas brilhando em teu olhar. 

Nos meus braços, bem sei, tu foste amada 
como jurei em frente de um altar, 
mas o frio chegou, de madrugada, 
e eu pude ver a solidão chegar... 

Nunca mais eu te vi nem tu me viste, 
fizeste-me sofrer quando partiste 
sem me ofertar qualquer explicação. 

Mas hei de vê-la um dia regressando, 
e a lua surgirá, no céu, saudando 
o nosso amor coberto de paixão! 


Nenhum comentário: