quinta-feira, 21 de maio de 2015

TROVAS DE WALTER WAENY

TROVAS DE WALTER WAENY
(S.VICENTE, 06/12/1924 – SANTOS, 04/06/2006)

Não te prendas mais à dor
nem lembres quem te esqueceu,
pois quem quer morrer de amor
vive do amor que morreu.

Lua e sol, de déu em déu,
vagam, ao longe, com ânsia.
- Tristão e Isolda do céu
que se amam sempre à distância!

Festa no asilo. E contesta
o velhinho, com razão:
- depois de um dia de festa,
um ano de solidão.

Quanta gente boba e fátua,
sem civismo nem moral,
aspira por uma estátua
e nem vale o pedestal.

Na alma, a esperança reflete
uma risonha mentira,
pois é o que a vida promete
em troca do que nos tira.

Louvas meus versos risonhos,
lidos hoje, em toda parte,
e é, com sucata de sonhos,
que eu forjo essas obras de arte!

Vitória nem sempre é quando
se pode vencer alguém:
às vezes, morrer lutando
é uma vitória também.

As noites! Que gosto é vê-las,
vendo vagar, tão risonhos,
neste céu cheio de estrelas,
teus olhos cheios de sonhos!

Ela se foi, porém vi
que jamais me abandonou
quem deixou tanto de si
na saudade que deixou...

Para não desanimar
na vida, é preciso ter
coragem para ganhar
e calma para perder.

No baile animado e amigo
deixei tristeza porque
levei a festa comigo,
quando saí com você!

Lembram, na vida, os segredos,
em lição que fundo cala:
água escorrendo entre os dedos
de quem, nas mãos, quer guardá-la!

Lei que é honesta, não susta
o seu castigo aos velhacos.
- Qualquer lei se torna injusta

quando só se aplica aos fracos.

Nenhum comentário: