sábado, 22 de agosto de 2015

ALVORECER

ALVORECER
Filemon F. Martins

Num festival de luz, a madrugada
vem surgindo no céu, risonhamente:
a Estrela d’Alva brilha alcandorada
sobre a Terra, que a fita, resplendente!

A Natureza, então, qual namorada,
de flores se engalana, sorridente,
cigarras cantam, canta a passarada
agradecendo a Deus esse presente.

E a estrela que brilhava, já sombria
desaparece...  e o mundo que dormia,
desperta, alegre, em meio dessa festa...

Não há beleza que se iguale a esta,
quando luzente o sol se manifesta
no começo feliz de um novo dia!...



Nenhum comentário: