sábado, 17 de outubro de 2015

CORRI (PEDRO APARECIDO PAULO)

Um Poema de Maringá/PR
Pedro Aparecido de Paulo
CORRI

Corri, Corri. Passei tão rapidamente pela vida
que mal notei que vivi, e que era gente.
Amanhã ouvirão apenas falar de minha existência.
Amei correndo, ouvi correndo, sofri mais lentamente, pois a minha carreira não deixou defender-me do sofrimento.
Senti o amor, e o mandei de volta tão rapidamente,
que você amor não percebeu que era tão puro.
Corri, Corri e não cheguei... apenas corri.


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS Nº 431, JOSÉ FELDMAN)

Nenhum comentário: