quinta-feira, 29 de outubro de 2015

SER (JOSÉ FELDMAN-MARINGÁ-PR)

Um Poema de Maringá/PR
José Feldman
SER

Feche os olhos
Acredite no impossível
Sonhe um infinito de sonhos
Galgue os mistérios do passado
Não procure saídas
Mas... apenas entradas.
Por mais impossíveis que possam ser
Não faça perguntas,
Não quebre o instante de encanto,
Não evite as tempestades violentas.
Deixe-se apenas levar...
Fantasias incontroláveis.
Procure o segredo nas profundezas do ser
E descubra em cada momento
Um novo gosto de vida,
Um definitivo gosto de prazer.
Emerja do mergulho do medo
Destrua os mitos
Siga sempre em frente.
Onde acaba a ilusão
Comece a procura de outras verdades
Pois o momento está por um fio,
Entre a tempestade e a calmaria,
E este fio é que comanda nossos sonhos…


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS Nº 434, JOSÉ FELDMAN)

Nenhum comentário: