sábado, 28 de novembro de 2015

UMA GLOSA DE PORTO ALEGRE/RS

Uma Glosa de Porto Alegre/RS
Gislaine Canales
Mote:

Triste, a lua apaixonada
se esconde no céu moreno,
e a branca face marcada
chora gotas de sereno.
Dorothy Jansson Moretti (Sorocaba/SP)

Glosa:
Triste, a lua apaixonada
envolvida em solidão,
ansiosa, amargurada,
se vê só, na escuridão.

Um disfarce procurando,
se esconde no céu moreno,
e vai pelo céu girando
naquele espaço pequeno.

Segue assim sua jornada,
recordando um grande amor,
e a branca face marcada
mostra as marcas desse amor.

Por estar assim tristonha
nessa solidão veneno,
nem sonhar mais ela sonha,
chora gotas de sereno.


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS 437, JOSÉ FELDMAN)

Nenhum comentário: