sexta-feira, 19 de fevereiro de 2016

LEMBRANDO O LAVRADOR...

LEMBRANDO O LAVRADOR
Filemon F. Martins

Eu me levanto cedo e abro a janela
para ver o romper da madrugada,
a Natureza em festa se revela
numa canção de amor bem orquestrada.

O Universo, de luz, parece tela
por um pintor supremo, executada,
tornando-se elegante passarela
onde faz coro a alegre passarada.

O sol desponta, quero uma caneta,
mas a enxada é que vem para a retreta
e quer dançar  comigo no roçado...

A enxada tine e estronda pelo eito,
vou capinar a terra do meu jeito
só amanhã, que agora estou cansado!

(DO LIVRO ANSEIOS DO CORAÇÃO)



Nenhum comentário: