domingo, 22 de maio de 2016

COMENTÁRIO

COMENTÁRIO
Filemon F. Martins

A sensatez nos manda esperar mais um pouco. Mas, como esperar e confiar numa equipe que já começa errada? Michel Temer, presidente interino, empossou uma equipe de Ministros, onde poucos se salvam. Parece ter ignorado as notícias, informações que há muito tempo a sociedade já sabe: nomes citados e investigados na Operação Lava-Jato. Outro, suspeito até de tentativa de assassinato. O que se tornou Ministro da Justiça deve ter um QI muito alto. Saiu da Secretaria de Segurança Pública de São Paulo para o Ministério da Justiça. Se aqui na Secretaria de Segurança, sua atuação já era insegura e polêmica, imagine agora como Ministro da Justiça. Bota QI nisso. Ora, os brasileiros estão clamando por ética, moralidade, seriedade e respeito à coisa pública. Sabemos que a condenação só se efetiva depois de sentença transitada em julgado. Mas é uma questão de ética, de moral. Difícil esperar alguma coisa boa num cenário destes. Faz lembrar o ex-presidente Lula que, em seu primeiro mandato, nomeou um Conselho para fazer a reforma da Previdência, e entre estes conselheiros estavam os maiores devedores do INSS. Não deu outra. O desenrolar dos absurdos todos já conhecem, inclusive o bolso dos aposentados e pensionistas do Serviço Público Federal, graças ao mensalão divulgado na época e que o STF, presidido por Joaquim Barbosa tão bem julgou. Tomara que o Supremo Tribunal Federal conserte os erros cometidos por Temer em seu início de governo.


Nenhum comentário: