sábado, 27 de agosto de 2016

QUEM FOI EDÍZIO MENDONÇA?

QUEM FOI EDIZIO MENDONÇA?

Filemon F. Martins
                                                       


         EDIZIO RODRIGUES MENDONÇA é baiano e nasceu em Barra do Mendes, a 14 de agosto de 1938, filho de Ezequiel Rodrigues Mendonça e de Esteva Maria da Anunciação.
        Barra do Mendes é uma progressista cidade no alto Sertão, encravada na região Noroeste do Estado da Bahia, no circuito da Chapada Velha, fazendo fronteira com os municípios de Gentio do Ouro e Ibipeba, Seabra, Souto Soares, Barro Alto, Ipupiara e Brotas de Macaúbas, com uma população aproximada de 20.000 habitantes.
        Pena que até hoje (2011) não se conseguiu sensibilizar o governo do Estado da Bahia para construir uma boa estrada ligando Barra do Mendes à Ipupiara, (apenas 56 km). As promessas foram muitas, mas, porém, contudo, senão, todavia, entretanto... As duas cidades e outras da região muito ganhariam com o intercâmbio comercial, turístico e cultural.
        EDIZIO MENDONÇA, filho ilustre de Barra do Mendes, fez seus primeiros estudos em escola particular, com a professora Elvira Campos Mendonça e na escola Duque de Caxias, com o professor Lídio Armando Guedes, tendo concluído o curso Primário na Escola Pública Rio Branco, dirigida pela professora Vivaldina Lima Lessa, em sua terra natal.
        Deslocando-se para outros centros, fez cursos, entre outros, de Administração Municipal, Técnicas de Alfabetização, Fiscalização de Rendas e curso de Jornalismo. Casou-se, primeiro, com Cleonice Teixeira Mendonça, com quem teve os filhos: Eduardo (também poeta), Lilia, Eliana, Edizio Júnior, Ana Amália e Gleuda Simone Teixeira Mendonça. Viúvo casou-se depois com Maria Sodré Mendonça, com quem tem os filhos: Evandro, Edizia Maria, Edenizio, Edilma e Eniere Sodré Mendonça.
        Escritor, Jornalista, Cronista, Pesquisador, Historiador, Poeta e Trovador, Edízio Mendonça é também político local, além de funcionário municipal, tendo exercido vários cargos na Administração Pública de Barra do Mendes.
        Como político, foi Vereador (1971/1973) e Vice-Prefeito (1977/1983) e exerceu inúmeras vezes o cargo de Secretário de Administração, Cultura e Turismo do Município. (1965/1972), (1983/2001).
        Como Escritor, já publicou vários livros, entre os quais, “POEMAS PARA CLEONICE (1969), O CORONEL MILITÃO COELHO (1980), CAPITÃO JOÃO PEDRO (2002) e BARRA DO MENDES, UMA HISTÓRIA DE LUTAS (2003)”. Os dois últimos livros, eu os ganhei do autor, quando em companhia do Procurador de Justiça e Escritor Mário Ribeiro Martins, o visitamos em Barra do Mendes em 19/07/2005.
        Nesta visita, deu-nos o ensejo de conhecer alguns pontos da cidade, entre outros, o açude municipal Landulfo Alves, a casa em que morou o Cel. Militão Rodrigues Coelho, o Hospital Municipal Manoel Novaes, o Arquivo Público Municipal, a Prefeitura Municipal e o Prefeito de Barra do Mendes, Dr. Manoel Gabriel dos Santos (Dr. Néu).
        Edízio Rodrigues Mendonça é um homem de muitos talentos, eis que, atua como Diretor – Gerente da Rádio Barra do Mendes (RBM) e é Diretor do Jornal “Tribuna do Sertão”. Seu projeto é ambicioso e escreve incansavelmente, são 18 livros inéditos e mais 17 livros “em preparo”, entre poemas, trovas, crônicas, contos, história e cordel.
        Entre os livros inéditos, estão Cantigas do Alvorecer, Mãezinha do Coração, Mensagem de Natal, Pérolas do Amanhecer (Trovas), Pétalas de Saudades, Pétalas do Alvorecer (Poesias), O Coronel Artur Ribeiro (de Ipupiara) e Vultos do Meu Sertão, volumes 01 e 02.
         Entre os livros que está preparando, encontramos Coronéis da Chapada, Governadores da Bahia (1889-2001), Governadores de São Paulo (1889-2001), Manoel Novaes, o Gigante do São Francisco, Os Últimos Dias do Cel. Horácio de Matos, Poetas do Meu Sertão e Trovadores da Bahia.
         Detentor de inúmeras honrarias, tais como, nome de Rua, de Escola, de Biblioteca, de Grêmio Estudantil “Edízio Mendonça”, na cidade ou no Município de Barra do Mendes. Faz parte, como coautor, de várias Coletâneas e Antologias, entre as quais, “Coletânea de Contos, Crônicas e Poesias” – IV Festival de Inverno da Bahia – (1994), “Trovadores do Brasil” – 2º vol. Aparício Fernandes – RJ -(1967), “A Trova no Brasil” – Aparício Fernandes – RJ - (1972), “Poetas da Bahia”- Eduardo Cavalcante Silva – Salvador – (1966) e “Anuário Coletânea de Trovas Brasileiras” – Fernandes ViannaRecife – PE – (1977/1978).
         Membro de diversas entidades culturais e de classe, tais como, Academia Guanabarina de Trovas – RJ; Academia Itajubense de Letras – Itajubá – MG; Academia Anapolina de Filosofia, Ciências e Letras – Anápolis – GO; Academia Barramendense de Letras – Barra do Mendes – BA e Academia Goianense de Letras – Goiânia – GO, etc.
        Colaborador de Jornais e Revistas do País, eis algumas opiniões sobre o seu trabalho: “Tive a oportunidade de ler “Tribuna do Sertão” e passei a lhe admirar mais ainda.” Apolônio Alcântara Dias Coelho – Morro do Chapéu – Ba; “Edízio, um dia a história de Barra do Mendes lhe fará justiça, pelo grande homem que você é. E pelo trabalho que você tem feito por sua terra.” Rogério Rego – Brasília – DF; “Tribuna do Sertão” é um jornal que diz bem da capacidade jornalística do poeta Edízio Mendonça”. Eduardo Cavalcanti Silva – Camaçari – Ba.
        É verbete do DICIONÁRIO BIOBIBLIOGRÁFICO REGIONAL DO BRASIL, de Mário Ribeiro Martins, via INTERNET, dentro de ENSAIO, no site www.usinadeletras.com.br
        Tomara que os livros do Poeta/Escritor, Edízio Mendonça, de Barra do Mendes, Bahia, venham à luz da publicidade para deleite dos seus leitores, entre os quais eu me incluo.
        Edízio Mendonça silenciou no dia 27/08/2016, às 5 horas, deixando imensas saudades. Barra do Mendes perdeu seu filho mais ilustre, tanto no campo político, como na literatura. Uma perda inconsolável.



Nenhum comentário: