terça-feira, 18 de outubro de 2016

O ANDARILHO

O ANDARILHO
Filemon F. Martins 


“Não me fale de amor”, alguém me disse, 
“o amor morreu, já não existe mais”. 
E eu retruquei que aquilo era tolice, 
- será pecado alguém amar demais? 

Ficou parado ali, talvez me ouvisse 
que o amor perdoa e espera, sem jamais 
querer em troca o favo da meiguice 
que perpetua a vida entre os casais. 

O tempo foi passando e pela rua 
eu vi aquele vulto olhando a lua 
perambulando como um peregrino. 

E percebi, então, que aquele rosto 
marcado pela dor, pelo desgosto, 
nunca teve um Amor em seu destino!


Nenhum comentário: