quinta-feira, 16 de março de 2017

TROVAS DE ZELITO MAGALHÃES

TROVAS DE ZELITO MAGALHÃES
FORTALEZA – CEARÁ

A brisa que embala o galho,
a flor que brota do chão,
as gotas puras de orvalho,
tudo tem de Deus a mão.

Agi errado, não minto
cometi tanta faceta!
Por isso, agora me sinto
um Romeu sem Julieta.

A moral de muita gente
é como um rio profundo:
Por cima tão transparente
com tanto lodo no fundo.

A pátria dos desgraçados
não tem bandeira nem nome,
pra que tantos rebuscados
onde se morre de fome?

Bendita sejas, ó trova!
Floresces os dias meus...
Em ti eu vejo a prova
de que estou perto de Deus.


(ALMANAQUE CHUVA DE VERSOS 476, JOSÉ FELDMAN)

Nenhum comentário: